29 de setembro de 2011

Não sei me entregar a desorientação...


Ontem, no entanto, perdi durante horas e horas a minha montagem humana. Se tiver coragem, eu me deixarei continuar perdida. Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação. Como é que se explica que o meu maior medo seja exatamente em relação: a ser? e no entanto não há outro caminho. Como se explica que o meu maior medo seja exatamente o de irvivendo o que for sendo? como é que se explica que eu não tolere ver, só porque a vida não é o que eu pensava e sim outra como se antes eutivesse sabido o que era! Por que é que ver é uma tal desorganização?

Clarice Lispector

6 comentários:

  1. Realmente, assumir para sí a situação de perdido e se manter nela, requer muita coragem. Mas ô que coragem bonita!!
    Beeijos, G.

    ResponderExcluir
  2. Amei teu blog, simples e adorável!

    ResponderExcluir
  3. costumo me confundir com clarice... o q ela sente é exatamente como me sinto...

    bjo

    ResponderExcluir
  4. Ela é complexa e intensa, razão e emoção, é uma combinação de explosão e encantamento.. vc é assim?

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Enviei um e mail pra vc no endereço sementephn@gmail.com
    Meu nome é Cristina.
    o titulo do assunto é: Me add no msn?
    Dá uma olhada lá.
    bj

    ResponderExcluir
  6. Marina


    Lispector é definitivo! Sempre! Depois de um texto dela, nada mais...

    Abraços!
    Lindo gosto literário!


    Estejas feliz nesta noite e em todas as demais!


    gilberto
    nel mezzo del cammim

    ResponderExcluir